O futuro da Maçonaria está no que fizermos agora

Início/Notícias/O futuro da Maçonaria está no que fizermos agora

O futuro da Maçonaria está no que fizermos agora

A Maçonaria, as Grandes Lojas, Grandes Orientes, Lojas, Grandes Oficiais, Oficiais, Veneráveis Mestres, em resumo, todos os Maçons, não podem eclipsar-se, nesta fase tão difícil e complexa para os Maçons, para as suas famílias e amigos e para todos os restantes, já que temos as obrigação de os apoiar a todos.

É imprescindível que sejam criados e implementados sistemas que garantam o contacto contínuo entre todos e que esse contacto seja forte, apoiante e preocupado. Não se pode limitar a textos escritos, por mais válidos que sejam, a Decretos ou a intenções.

Esta situação irá terminar e é importante que nessa altura, a Maçonaria tenha mantido ou reforçado a sua importância na Sociedade, na vida dos Irmãos e de todos os que os rodeiam. Se não o fizer, não só perderá uma excelente oportunidade de “justificar” a sua existência, mas poderá correr o risco de iniciar um caminho de “míngua”, ao deixar de estar presente na vida de tantos a quem deu tanto, ao longo dos anos, e a quem não pode deixar de dar.

Embora correcto, priorizar os doentes e idosos, torna-os carentes e expostos a outras doenças e riscos. É fundamental cuidar da saúde física e mental, mais sensíveis e frágeis em estados de isolamento.

E tanto há que se pode fazer:

  • Grupos de apoio utilizando as redes sociais,
  • Reuniões “maçónicas” virtuais, fundamentais para manter a cadeia de união das Lojas, utilizando ferramentas de internet de fácil acesso e baixo custo. A rotina das reuniões virtuais facilitará a volta às actividades regulares das Lojas.
  • Grupos de entreajuda,
  • Formação à distância em temas maçónicos ou não,
  • Sistemas estruturados de contacto com os Irmãos, sobretudo com os em maior risco, não deixando isso ao sabor da boa vontade de alguns.
  • Sistemas que assegurem que todos têm acesso a bens para as suas primeiras necessidades, sejam elas económicas, de medicamentos, de alimentos, ou simplesmente de alguém com quem conversar.
  • E tantos outros mais… o limite é a imaginação. Ações criativas e inteligentes fortalecerão os laços de fraternidade que nos unem.

Tudo isto pode e deve ser implementado e está a distância de um querer; os líderes eleitos da Ordem não podem desaparecer no isolamento inevitável – têm de estar sempre visíveis e activos. Todos os restantes, igualmente.

QUEIRAMOS

Este texto foi elaborado em parceria por

José Carlos Serufo – Loja Paz e Amor 16 (GOMG – Brasil)
António Jorge – Loja D. Fernando II (GLLP / GLRP – Portugal)

 

Fonte: freemason.pt

By | 2020-03-24T13:02:01+00:00 março 31st, 2020|Notícias|Comentários desativados em O futuro da Maçonaria está no que fizermos agora